Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Cat sitting Ana Castanheira

Serviço humanizado na guarda de gatos Tlm: + 351 917055346 - anapmcastanheira@gmail.com - Carcavelos, Cascais, Portugal Também em ajudanahora.com/cat-sitting

Cat sitting Ana Castanheira

Serviço humanizado na guarda de gatos Tlm: + 351 917055346 - anapmcastanheira@gmail.com - Carcavelos, Cascais, Portugal Também em ajudanahora.com/cat-sitting

Maria Gata- um cat sitting muito especial

maria deixa-se ver.jpg

 

Entre o ritmo acelerado, o barulho de fundo, a imensidão de coisas nas quais dispersamos a nossa atenção, existem mundos e mundos que nos passam completamente ao lado.

 

 

Em meados de Setembro, foi-me pedido que tomasse conta de uma gata com cerca de 6 anos que viveu cerca de 4 anos na rua. A Maria é uma gata tigrada muito bonita que se desabitou do contacto humano, não confia, não se aproxima, vive distante, comendo às escondidas e escondendo-se em sítios inacessíveis. Corta o coração lidar com um gato que não mia, que não interage connosco. Corta o coração ter de ir procurá-la em casa para ver se ela está bem. Corta o coração observar este bichinho em stress apesar de todos os nossos esforços de falar meigamente com ela, tentar que se entusiasme e distraia com brinquedos discretos, de dar-lhe bombons para gato e latas gourmet para tentar estreitar os laços, e obter pouquíssimos resultados. Passados quinze dias connosco começou a dar o ar da sua graça deixando-se ver ocasionalmente em cima do sofá, olhando para nós desconfiada e escondendo-se se nos aproximávamos dela. Será possível um dia esta gatinha deixar que alguém lhe faça uma festa? Será que o tempo irá curar parcialmente as suas memórias emocionais? Será possível um dia ela deixar-se convencer e acreditar que pode confiar de novo nos seres humanos?

 

maria come à sucapa.jpg

 

Por ti Maria, e por todos os gatinhos que habitam as ruas, aqui partilho o cenário desconhecido de muitos de nós.

De todos os gestos que impactam as vidas do próximo, hoje em dia por esse Portugal fora, e principalmente nos grandes meios urbanos,é comum encontrar mais e mais animais abandonados, e associações e grupos de pessoas em prol dos animais, que nascem como cogumelos para se dedicarem a tirá-los da rua, a avaliarem o seu estado de saúde, a cuidarem deles vacinando-os e esterilizando-os para que possam ter de novo um lar com donos que os amem como um membro da família, para que aconteça o que acontecer não voltem a viver sem abrigo, sem protecção, sem alimento, sem carinho e atenção.

Desde 2010 até 2014 o número de animais abandonados aumentou cerca de 41%. Em cada 5 animais, 4 são cães, 1 é gato. Nestes últimos anos houve um número crescente de famílias que deixaram de conseguir sustentar-se e aos seus animais de estimação e por isso, sem conseguirem procurar outras respostas encontram no abandono a solução.

Em 2015 o número de animais abandonados parece estar a baixar comparativamente aos últimos anos. Até Agosto foram recolhidos pelos centros de recolha municipais cerca de 1644 gatos. Mas existem muitos outros gatos abandonados de difícil contabilização a serem recolhidos por particulares e associações e o ano ainda não acabou.

A lei criada desde Outubro de 2014 pode ter contribuído ou não para a diminuição de animais abandonados. Os maus tratos infligidos a um animal doméstico passaram a constituir crime punível com dois anos de prisão. O abandono pode chegar aos seis meses de cadeia. Mas apesar das queixas existentes na GNR, apenas algumas dezenas são efectivamente consideradas práticas criminosas.

 

maria gata 3.jpg

Mas afinal porque existem tantos animais nas ruas?

Há muitas vezes dificuldades a nível municipal em controlar a população dos animais errantes.

Os gatos errantes não castrados, ou as gatas não esterilizadas reproduzem-se muito facilmente. Uma gata pode ter em média 12 gatinhos num ano, 3 partos por ano. Se procriar ao longo de toda a sua vida são mais de uma centena de gatinhos. Ainda que nem todos sobrevivam é um número demasiado elevado.

Do concelho de Cascais e particularmente na região de Carcavelos e São Domingos de Rana, chegam-me muitas vezes pedidos de resgate de animais de rua. Em zonas de vivendas ou em terrenos abandonados formam-se colónias de animais, em algumas situações criando problemas de saúde pública.

 

O que podes fazer para ajudar?

Se tens um gato ou uma gata que deixas ir à rua, esteriliza-os. Sem saberes podes estar a dar origem a muitas vidas na rua! Procura junto de associações ajuda, existem hoje em dia locais e veterinários que fazem a operação a preços mais em conta. Se de todo não tens dinheiro para fazê-lo, não os deixes ir para a rua.

Se queres ter um gatinho, é preferível adoptares a comprares. Existem muitos gatinhos a precisar de ajuda.

Se não podes ter um gatinho permanentemente, podes sempre acolher temporária e pontualmente.

Cada vez que uma pedra cai num lago formam-se ondas concêntricas que perduram até as perdermos de vista, movendo água, plantas e terra até às margens, até ao fundo do lago.

Miau! - vai dizer a Maria em sinal de agradecimento.